21.5 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, junho 20, 2024
CasaEditoriasCultura / ArtesIrmãos “Bemvindo” são homenageados na Festa da Penha

Irmãos “Bemvindo” são homenageados na Festa da Penha

Data:

Notícias relacionadas

Coral O Canto da Rua se apresenta no Santuário Cristo Redentor

Nessa terça-feira, 18 de junho, às 15h, o “Coral...

Violência contra crianças aumenta 173% nos últimos três anos no Rio

Dados revelados pelo Anuário do Instituto de Segurança Pública...

Via Parque Shopping inicia campanha do agasalho

Sempre comprometido com o desenvolvimento social e com a...
spot_imgspot_img

Manhã de Autógrafos, Exibição de Filme, Roda de Capoeira e Roda de Conversa na programação da 388ª edição da Festa da Penha, que volta ao bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, após a última realização no ano de 2020

No dia 8/10, domingo, a partir das 8h começa o evento com produção do professor e capoeirista Raphael Teixeira, autor do livro: MESTRE TOURO E MESTRE DENTINHO: os irmãos Bemvindo da Penha, lançamento na data.
Raphael Teixeira é mestre em Memória Social (UNIRIO). Graduou-se em Filosofia (UERJ), Artes Cênicas (UNIRIO) e há mais de 30 anos trabalha nas áreas de Cultura, Meio Ambiente, Arte e Educação junto aos territórios populares da cidade do Rio de Janeiro. Atualmente leciona a disciplina Filosofia, na Diretoria Especial de Unidades Escolares Prisionais e Socioeducativas (DIESP/SEEDUC-RJ).
Além do lançamento, os livros nos formatos físicos e e-books ficarão em escolas e bibliotecas da região à disposição dos leitores interessados pela biografia dos irmãos Bemvindo..

Para Raphael Teixeira, a história dos mestres Touro e Dentinho, que morreu em 2011 aos 60 anos, é uma contribuição valiosa para que a capoeira atuante na Penha se propague pelo mundo.

“Olhar a Penha hoje é percebê-la com respeito e alegria. Mesmo sem morar no bairro, conheci e convivi, durante longos anos, com os irmãos Bemvindo que me guiaram através desse berço cultural onde o samba, a capoeira e a religiosidade lusa e afro-brasileira se encontram na Festa da Nossa Senhora da Penha. Tive o prazer de dirigir o curta-metragem documentário “Bemvindo” que completa 20 anos em outubro. Ele será celebrado com o livro sobre os Mestres “– comenta Teixeira.

 

 

Mestre Dentinho: é nascido em 25/06/1952, Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo, teve contato com o capoeirista Fernandinho da Bahia e através dele foi iniciado na capoeira. E a partir da composição da capoeira baiana e de elementos da capoeira carioca, Mestre Dentinho desenvolveu um estilo próprio de jogar capoeira, denominado por alguns de seus discípulos como “Angola da Penha”
Grupo Auê: um dos mais antigos do Rio de Janeiro, o Grupo Auê foi fundado por Mestre Dentinho e hoje é liderado por seu filho, Mestre Alcino Bemvindo.
Mestre Touro: Antônio Oliveira Bemvindo é nascido em 03/11/1950, Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo. Iniciou seus conhecimentos na capoeira com Mestre Celso Pepe, discípulo de Mestre Leopoldina. Em 23 de abril de 1964 fundou o Grupo Corda Bamba.

 

O grupo comandado pelo mestre Touro, formou diversos mestres que hoje estão espalhados pelo mundo. Entre eles, o Mestre Preto Velho, Dennis Newsome – fundador do grupo de capoeira “Os Malandros do Mestre Touro”, com sede em Dallas, Estados Unidos – e o Mestre Guinho, que fundou o grupo “Oxés de Ouro”, em Valência, na Espanha. Com isso, a capoeira de mestre Touro seguiu pelos continentes.

Além do grupo Corda Bamba, o mestre Touro também fundou o Espaço Cultural Manduca da Praia que é um local de acolhimento para as rodas de capoeira, onde podem ser realizadas. Também outras manifestações afro-brasileiras, como rodas de samba, culinária afro-brasileira e religiosidade. Assim contribuindo para a revitalização da região e resgatando a tradição das antigas festas da Penha.
O grande símbolo do Espaço Cultural Manduca da Praia é a estátua Homens de Fibra que homenageia os irmãos Bemvindo: Mestre Touro e Mestre Dentinho (in memoriam), ambos oriundos do Espírito Santo, mas que fizeram da Penha sua casa e onde começaram a praticar capoeira. A estátua simboliza a declaração da Roda de Capoeira do Largo da Penha, representada pelo Mestre Touro Bemvindo, e considerada como Patrimônio Imaterial da Cultura Carioca.

 

A aprovação na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, pelo então Vereador Leonel Brizola Neto, foi através do projeto de Lei n° 1.490/2019.
Outra Lei, de número 5051/2021, autoria da Deputada Estadual Renata Souza, também declarou a Roda da Penha e o Espaço Cultural Manduca da Praia como Patrimônio Histórico e Cultural, Imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

Comentários

Inscreva-se

- Nunca perca uma notícia com notificações ativas

Últimas notícias

spot_img