26 C
Rio de Janeiro
terça-feira, fevereiro 27, 2024
CasaBaixadaBelford RoxoBelford Roxo implanta novo aparelho para diagnóstico de doenças respiratórias

Belford Roxo implanta novo aparelho para diagnóstico de doenças respiratórias

Data:

Notícias relacionadas

Instituto que ajuda pacientes de câncer sofre com alagamento

O grande temporal que assolou a baixada fluminense alagou...

Banco de Perucas Móvel visita o INCA

Em uma iniciativa que visa transformar o cenário de...

Prefeito de Belford Roxo anuncia inaugurações de unidades de saúde

Saúde é prioridade. O prefeito de Belford Roxo, Wagner...

Nilópolis trava luta contra Aedes Aegypti

Nilópolis, um dos menores municípios do estado do Rio...

Orientações indispensáveis para curtir o carnaval com saúde

À medida que o carnaval se aproxima, a expectativa...
spot_imgspot_img

Mais uma ação promovendo saúde e prevenindo doenças. A Secretaria de Saúde de Belford Roxo, viabilizada pelo Fundo Municipal de Saúde, em parceria com a empresa Boehringer Ingelheim, realiza durante toda esta semana um mutirão de exames de espirometria gratuitos na Policlínica Neuza Goulart Brizola. Mais de 120 pacientes estão com exames agendados na unidade.

Os exames são direcionados aos pacientes do Sistema Único de Saúde com diagnóstico ou suspeita de patologias pulmonares, no mês que se promove mundialmente a conscientização da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

A espirometria é um exame não invasivo, indolor e que verifica a condição pulmonar do paciente, contando com a colaboração do mesmo na realização o procedimento, através da respiração em um bocal descartável. O aparelho utilizado é chamado de espirômetro que fornece dados precisos nos testes de função pulmonar e é acompanhado de uma cabine de biossegurança projetada para proteger os pacientes e técnicos em função do alto risco de contágio por Covid-19.  A cabine é equipada com dois filtros microbiológicos de alta capacidade que permitem higienização e desinfecção de forma prática.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 210 milhões de pessoas no mundo tem DPOC e a campanha anual tem o objetivo de aumentar e melhorar o conhecimento público a respeito da doença, reforçando que ela pode ser prevenida e tratada.

O secretário de Saúde, Christian Vieira, pontuou sobre a disponibilidade do exame. “Temos a intenção de facilitar e ajudar na adesão ao tratamento de doenças respiratórias. Ter a possibilidade de ofertar esse exame em Belford Roxo é uma grande conquista para a saúde do município”, finalizou Christian.

Exame complementar

O presidente do Fundo Municipal da Saúde, Carlos Andrade, exaltou a iniciativa da parceria. “Estamos felizes em disponibilizar um exame de alto nível para atender a demanda do município de forma ágil e segura, graças à soma de esforços da prefeitura e a iniciativa privada”, ressaltou. “Agora os nossos usuários vão poder realizar esse exame sem precisar de grandes deslocamentos, é mais uma ação importante concretizada”, completou o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Davi Calado, ao lado da vice-presidente, Jandira Rosa.

O diretor das Policlínicas e Especializadas, Admilson Figueiredo, ressaltou o pioneirismo da Saúde de Belford Roxo. “Essa é mais uma parceria valiosa que estamos anunciando em prol dos cuidados fundamentais com a população. Este equipamento estará presente para desafogar a rede SUS e atender com eficiência essa demanda”, salientou Admilson.

O técnico em espirometria, Iuri Matos Vilela, contou sobre o procedimento no exame. “A espirometria é um exame complementar de extrema importância para o auxílio do diagnóstico de DPOC, asma e sequelas causadas pós-Covid-19”, frisou. “Sabemos que apesar de ser um exame simples, ainda existem barreiras para oferecer o serviço e agora estamos podendo agilizar o acesso ao diagnóstico”, revelou Iuri.

A pneumologista da Policlínica Neuza Brizola, Roberta Oliveira Gomes, explicou sobre o quadro clínico dos pacientes. “Nossos pacientes geralmente possuem bronquite crônica e enfisema pulmonar. Este tipo de exame é essencial devido à alta taxa de mortalidade por DPOC no mundo”, realçou. “Pacientes com falta de ar, tosse, expectoração precisam desse diagnóstico. Até mesmo pessoas expostas à poluição e tabagismo tem que investigar, pois são considerados fatores de risco”, explicou a pneumologista, que também utiliza o exame para acompanhar o tratamento e evolução dos pacientes.

A moradora de Heliópolis, Rosa de Oliveira Rodrigues, 75 anos, possui dificuldade respiratória e agradeceu pelo exame gratuito. “Esse tipo de exame salva vidas, é um equipamento que não temos acesso fácil e é preciso valorizar”, disse. “É um exame rápido e simples, fundamental para o meu tratamento”, concluiu Rosa.

Comentários

Renan Xavier
Renan Xavier
Jornalista, Colunista deste portal, produtor de Rádio e TV e produtor e coordenador de produções na Real Mídia Produtora. Apresentador no Sistema Real de Rádios: Rádio Play, Rádio Mirandela Fm, Rádio Preferida FM, e outras rádio filiais, afiliadas e parceiras na rede. Técnico em TI, audio/ som e sites.

Inscreva-se

- Nunca perca uma notícia com notificações ativas

Últimas notícias

spot_img