21.8 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, julho 12, 2024
CasaNotíciasPetAgosto Verde: mês do combate à Leishmaniose

Agosto Verde: mês do combate à Leishmaniose

Data:

Notícias relacionadas

Saúde de Petrópolis em crise

Sem receber os repasses de mais de R$ 16...

Clínica de Medicina Veterinária inaugura no Flamengo

Nesta quinta-feira (20), às 10h, a UNINASSAU Rio de...

Consultas virtuais ajudam no controle de sintomas da enxaqueca

A enxaqueca é uma doença neurológica, caracterizada pela hiperexcitabilidade...
spot_imgspot_img

Alerta Pet: Veterinária reforça a importância de cuidados preventivos, como a coleira antiparasitária e repelente, para proteger o cão e as pessoas; diversos estados como MG, MS, CE, PI, RJ e SP já registraram casos

Agosto mal começou e o tema leishmaniose ficou ainda mais evidente entre a população. Casos desta doença têm sido cada vez mais frequentes em várias regiões do país. Neste mês temos a Campanha  Agosto Verde para alertar sobre os cuidados de prevenção e combate à enfermidade. Os estados do Mato Grosso do Sul, Ceará, Piauí, Rio de Janeiro e São Paulo já registraram casos em 2022.

 

“A leishmaniose é uma doença que nos preocupa durante o ano inteiro, mas é importante reforçar que fatores climáticos como temperatura e umidade podem fazer com que o número de casos aumente em determinados períodos, afetando não só os cães, mas também os seres humanos. Por isso, é muito importante que toda a população invista na prevenção e evite a transmissão”, alerta Kathia Almeida Soares, médica-veterinária e coordenadora técnica pet da MSD Saúde Animal.

 

Você que tem seu Pet e o ama, com certeza ficou preocupado com a possibilidade dele contrair essa doença não é? Entenda mais sobre ela e saiba que existe cura e seu bichinho pode ter uma longa e saudável vida após ela.

 

A Leishmaniose é uma doença infecciosa causada por parasitas do gênero Leishmania, transmitidos principalmente por meio da picada de um flebótomo, que são mosquitos pequenos de hábito crepuscular e noturno  e que pode afetar pessoas e animais de estimação, como os cachorros. Existem dois tipos, a visceral, que acomete os órgãos internos, e a cutânea, que agride as mucosas e a pele.

 

A mais comum nos cachorros é a visceral. A transmissão da doença acontece principalmente quando os flebótomos se alimentam de sangue. Quando esse inseto pica o animal infectado, ele se infecta e transfere o protozoário ao picar o humano. Isso quer dizer que o cão é o principal reservatório do protozoário, mas é importante lembrar que ele não transmite a doença diretamente para as pessoas, ou seja não precisa se afastar do seu Pet com medo de ter. Dê todo cuidado e carinho ao animal sem medo.

Fique Atento!

 

Perda de sangue por meio das fezes e do nariz, febre, vômitos, diarreia, perda de peso, alterações dermatológicas, desidratação se o seu Pet apresentar esses sintomas, alerta total. Pode ser leishmaniose visceral. Já a leishmaniose tegumentar, também conhecida como cutânea, se manifesta por meio de lesões na pele do animal.

Suspeitou da doença? Leve ao veterinário para exames. Não o medique. Outras doenças podem ter semelhantes sintomas e você acabar tratando de forma errada.

 

Sem pânico! A doença tem tratamento

A Medicina animal tal como a humana esta muito avançada. Anos atrás era aconselhado para alguns casos a eutanásia do pet e hoje esta comprovado que existe cura e vida feliz pós tratamento.

Assim como em muitas doenças, a melhor forma para evitar é a prevenção, que deve ser realizada por um conjunto de medidas, como o uso de produtos tópicos com ação repelente, como a coleira antiparasitária para cães à base de deltametrina, e a vacinação. Um ambiente limpo também colabora muito para a saúde do seu bichinho e, uma atenção maior com o entardecer e a noite que é quando o mosquito transmissor ataca mais.

Proteja seu cãozinho, garantindo assim saúde e bem-estar para ele e toda a família.

 

 

 

 

Comentários

Cristiane Braga
Cristiane Braga
Coordenadora da Redação do Portal RJ4,Jornalista ,Produtora de Eventos,Tv e Rádio, Cris é uma carioca apaixonada pela profissão e pelo Carnaval. Atua no setor desde 1994, quando tinha apenas 15 anos e descobriu sua vocação. Formada desde 2001 pela UGF como Bacharel em Comunicação Social. Além dos afazeres jornalísticos, ela é Manager da Cris Mattos Assessoria de Comunicação

Inscreva-se

- Nunca perca uma notícia com notificações ativas

Últimas notícias

spot_img