26.6 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, abril 24, 2024
CasaReportagem EspecialAgosto Dourado: Mês de conscientização da importância da amamentação

Agosto Dourado: Mês de conscientização da importância da amamentação

Data:

Notícias relacionadas

spot_imgspot_img

O nome foi escolhido porque a OMS considera o leite materno como o “alimento de ouro” para a saúde dos bebês.

01 de agosto é o dia mundial da amamentação e marca o início do “Agosto Dourado “, mês de conscientização do aleitamento materno, que é um dos momentos mais importantes para aumentar o laço entre a mãe e o bebê, trazendo diversos benefícios para ambos: faz o útero voltar ao tamanho normal mais rápido, reduz o risco de câncer de mama e ovários, previne a anemia materna.

 

Também há ganhos para o bebê: Protege contra doenças, previne problemas na fala e formação incorreta dos dentes, proporciona desenvolvimento e crescimento além de ser um alimento completo, dispensando outros até os seis primeiros meses de vida. Mas o maior benefício de todos é o aumento do vínculo do bebê com a mãe.

Para Luana Lanes, 28 anos, moradora de Rancho Fundo, Nova Iguaçu,RJ, esse momento é muito especial. Mãe da Pérola, de 1 ano e grávida de Noah, ela sente muito amor ao amamentar sua menina.

O que você sente ao amamentar sua bebê?

Muito amor, para mim é tão bom ver que tem uma pessoinha que depende de mim e se sente segura nos meus braços. É gostoso demais a troca de olhares, a mãozinha dela me acariciando, o sorriso de alegria no meio da mamada.

Já enfrentou alguma dificuldade ao amamentar? 

Nunca tive, parece que meu corpo já nasceu preparado para ser mãe. Sei que muitas mães sofrem com a amamentação, o peito racha ou sangra ou então o leite é pouco, entre outras coisas. Só é difícil quando se está exausta e o corpo pede um momento de descanso.

Você sofre ou já sofreu algum tipo de preconceito ao amamentar em público?
Não, no começo eu tinha vergonha, hoje em dia nem ligo, mas nunca alguém me repreendeu por isso.

Roberta Rocha ,41 anos, mãe de 2 filhas (7 e 14 anos, consecutivamente), moradora de São Vicente, SP, relata que teve muita dificuldade para amamentar.

Já enfrentou alguma dificuldade ao amamentar?

Sim, a maioria dos lugares não tinham um local e não têm até hoje onde você possa ficar com o bebê, que seja privado, como os fraldários de shopping.

Você  já sofreu algum tipo de preconceito ao amamentar em público?

Não. Graças a Deus.

Ela também participou em 2014 de um mamaço em sua cidade, um evento voltado à conscientização sobre a importância da amamentação, com profissionais da área social e da saúde tirando dúvidas e dando orientações.

Em maio deste ano, mães lactantes de todo o país fizeram um “mamaço virtual”, postando fotos amamentando em redes sociais. O objetivo foi chamar atenção para a importância de incluir as lactantes na lista de vacinação prioritária contra covid -19.

Pesquisas realizadas ao longo de 2020 comprovam que os anticorpos da mãe vacinada são transmitidos ao bebê através do leite materno sem riscos, garantindo a proteção da mãe e do bebê em uma única vacina.

O termo “mamaço” surgiu na França no ano de 2006. Um grupo de mães se reuniu para amamentar seus bebês em público. O sucesso foi tão grande que elas criaram a associação “La grande tettée”, que significa “A grande amamentação”.

Esse movimento se espalhou pelo mundo e hoje mais de 50 cidades brasileiras participam e realizam o mamaço por todo o país. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o aleitamento materno seja feito até os dois anos de idade ou mais.

Reportagem especial :Nathália Alves

Créditos da imagem de destaque:Acervo pessoal Luana Lanes

 

Comentários

Nathália Alves
Nathália Alves
Aquela que está sempre sorrindo! Jornalista em formação, repórter do portal e apresentadora do programa Alô Bahia.

Inscreva-se

- Nunca perca uma notícia com notificações ativas

Últimas notícias

spot_img