25 C
Rio de Janeiro
terça-feira, abril 16, 2024
CasaNotíciasOxente my god! Damos adeus a diva da tv

Oxente my god! Damos adeus a diva da tv

Data:

Notícias relacionadas

Mariana Mesquita lança ‘O Gato Subiu no Teclado’ no Rio de Janeiro

Um gatinho, em especial, que se arriscou em virar...

Padre Omar recebe integrantes do G20 no Cristo Redentor

Nessa sexta-feira, 12 de abril, às 9h, o Comitê...

Prefeitura de Nova Iguaçu inaugura o Hospital Iguassú

Nova Iguaçu viveu um dia histórico nesta quarta-feira (3)....
spot_imgspot_img

O Brasil Perde Eva Wilma

Dona de um sorriso terno e um talento inigualável, Eva Wilma Riefle Buckup Zarattini de 87 anos nos deixou às 22:08hs deste sábado (15) vitima de um câncer no ovário que disseminado a levou a uma insuficiência respiratória. Internada desde 15 de abril para tratar de problemas cardíacos e renais, ela teve o câncer descoberto em 7 de maio em estado avançado.

Em setembro do ano passado, a atriz comemorou 70 anos de carreira. No início da década de 1950, após chamar a atenção como bailarina clássica, ela estreou como figurante em filmes italianos e fez dois filmes com o diretor Armando Couto e o ator Procópio Ferreira, “O Homem dos Papagaios” e “A Sogra”. Ao longo da carreira, trabalhou com diretores como Walter Hugo Khouri (“A ilha”), Luiz Sérgio Person (“São Paulo S.A”) e Roberto Farias (“A cidade ameaçada”).

Na TV, a atriz estreou na Tupi, em 1953, no seriado “Namorados de São Paulo” (depois rebatizado para “Alô, doçura”).

Ao longo dos anos 1970, Wilma se tornou uma das principais estrelas da TV brasileira. Fez sucesso atuando ao lado do ator Carlos Zara em diversos programas, muitas vezes como par romântico. Seus sucessos na telinha incluem as gêmeas Ruth e Raquel na primeira versão de “Mulheres de Areia”, de Ivani Ribeiro, e papeis em novelas como “A viagem”, “O direito de nascer” e “Selva de pedra”. Na década de 1990, fez sucesso como Altiva( talvez o mais marcante e divertido de sua carreira), com seu sotaque nordestino e misturado com inglês na fictícia Greenville.

Engajada politicamente, ela militou contra a ditadura militar e participou da histórica Marcha dos Cem Mil em 1968. Na novela “Roda de fogo”, fez o papel da ex-militante Maura, torturada durante a ditadura. Após um período ausente, voltou às novelas com “Fina Estampa”, de 2011. Também fez aparições no seriado “A grande família” em 2014.

Vivinha, como era carinhosamente chamada, era querida demais no meio artístico.

“É um dia em que a gente fica triste. Perde-se uma estrela da maior grandeza. Sem dúvida, uma das artistas mais talentosas do país, que dedicou sua vida à arte. Vá em paz, querida Eva Wilma!”, escreveu o dramaturgo Walcyr Carrasco, em seu perfil nas redes sociais.

A roteirista e produtora Antónia Pellegrino publicou em seu Twitter:

Inúmeras serão as homenagens prestadas e a única certeza que temos é que o legado dessa diva da tv será eterno e, que Eva Wilma pra sempre ficará no coração dos seus amigos, familiares e fãs.

 

 

Comentários

Cristiane Braga
Cristiane Braga
Coordenadora da Redação do Portal RJ4,Jornalista ,Produtora de Eventos,Tv e Rádio, Cris é uma carioca apaixonada pela profissão e pelo Carnaval. Atua no setor desde 1994, quando tinha apenas 15 anos e descobriu sua vocação. Formada desde 2001 pela UGF como Bacharel em Comunicação Social. Além dos afazeres jornalísticos, ela é Manager da Cris Mattos Assessoria de Comunicação

Inscreva-se

- Nunca perca uma notícia com notificações ativas

Últimas notícias

spot_img